27/12/2013

SE AS FLORES FALASSEM...



Ah! Se as flores falassem...
Certamente,
Diriam apenas de ternura
E amor!

Falariam das borboletas
E dos beija-flores...
Que suavemente,
Bailam sobre suas pétalas!

Se elas falassem,
Diriam da  alegria, 
Da beleza...
Da saudade...

Falariam,
Em leve melodia...
Da essência da vida,
E do perfume que exala.
Recitaria versos de amor.


Flores,
Falam em sua essência...
Fazem brotar vida,
Ao semear sementes.

Elas falam sim...
Em forma de poesia.
Para entendê-las,
É preciso ter a alma leve!

Falam... Falam sim...
É preciso apenas ter sabedoria
Para compreendê-las
E perceber que sua essência,
É plena de amor!






22/12/2013

A VOZ DO VENTO...




Da janela do último andar de um arranha-céu,
Em noite de solidão,
Ouço a voz do vento soprando
Em várias direções...

Em silêncio fico a ouvir
Seus passos...
Aproximo-me da janela
E deliciosamente,
Deixo soprar meus cabelos.

Não ofereço resistência,
E fico por alguns instantes,
A ouvi-lo...

Que eu não tenha medo...
E por mais que seu balanço seja forte,
Sirva apenas e tão somente,
Para jogar folhas velhas ao longe.

Que em seu sopro,
Leve tudo que for de saudade...
Tudo que não for amor.
Fazendo com que a vida,
Seja plena... Eternizada!

E ainda que sua força
Cause tempestades...
Que não venha soprar meus cabelos,
Não mereço essa crueldade!

E se a tempestade vier...
Que logo possa ir embora.
Não quero ficar destruída...
Chorando...

Não quero ficar revoltada,
Com o coração apertado...
Não quero lágrimas,
Caindo dos meus olhos...
Inundando meu coração.

Que o vento seja generoso...
Que possa sempre ir e voltar,
Em atitude complacente.

Que venha...
Em leve movimento,
Suavizar o calor...
Trazer o frescor!

Que venha docemente,
Afagar meus cabelos...
Amenizar a dor,
Da minha solidão.


16/12/2013

EM MIM... AINDA QUE DISTANTE!

Em noite chuvosa
E sem lua,
Senti uma enorme vontade
De estar junto de você.
Te abraçar... Te sentir!

Longamente,
Fiquei lembrando da sua imagem
Enternecedora, Doce, atraente,
Instigante e misteriosa...

Gosto de você
Mais que possas imaginar...
Isso me intriga
Pela intensidade com que sinto.

Preciso te encantar... E encantar...
Se você soubesse o que sinto por você,
Ficarias junto de mim.

Sozinha, ouço canções...
Que me fazem te sentir perto de mim.
Me encanta, seduzes...
Ah! Como eu te quero,
Te desejo.

Desejo... Calor... Afagos...
Sensações... Emoções!
Loucura... Doce loucura
Que não cede!

O coração acelera,
A boca saliva...
Desejo... Puro desejo.
Intenso desejo de estar!

Almas entrelaçadas...
Toques de mãos,
Beijos ardentes... Molhados,
Apaixonados!

Quero envolver minha boca com a sua,
E te sentir todo e intenso...
Sim... Todo.
Ah! Que vontade de você.
Vontade de afagar, aninhar...
 
Me entregar a estes momentos,
Em que sou inteiramente sua!
E enquanto a chuva cai lá fora,
Eu contigo...
 
Um bom vinho, uma bela canção...
Um tapete de lã alto e fofo.
Frio, chuva, cobertores,
Lareira...

Relógios parados...
Eu te beijando,
Sentindo seu sabor.
O tempo irá dizer, se é amor
Ou paixão!




10/12/2013

SEM DIREÇÃO...



Pés que caminham
E não tocam o chão.
Olhar,
Que não enxerga direção.

Os ventos sopram
E espalham sementes...
Umas boas,
Outras nem tanto!

Para germinarem e florescerem,
Precisam das gotas do orvalho,
E da chuva!
E qual chuva,
Faça sua vida florescer!

Se o vento
Não semear boas sementes,
Não perca a direção.
Replante... adube...

Na vida,
Enfrentamos terrenos áridos...
Encontramos tempestades,
Furacões...
Percorremos caminhos difíceis.

Com direção,
Na curva da certeza
Encontraremos caminhos férteis...
Floridos...
Feitos para nossos pés.

É preciso seguir...
Portas se abrirão!
Poderás perceber
Que não perdeu o jogo,
A batalha, a luta!

Se em alguns momentos
O silêncio for necessário,
Faça-o!
Poderás contemplar estrelas,
Sentir novas emoções.
Retomar a direção!

Com determinação,
Construa caminhos...
Aqueles que realmente queira,
Deseja e precisa.

Lamentações,
Não levam a lugar nenhum...
Pegue o próprio leme.
Redirecione... Siga em frente.
Prove de si mesmo
E verás que és capaz.

05/12/2013

SOLITÁRIA LUA NA MINGUANTE...

No escuro celestial,
Há pontinhos de luz.
São  estrelas brilhantes
Ou, 
Ofuscadas.
Umas  próximas, outras distantes!

E na imensidão do céu,
A timidez e o silêncio da lua minguante,
Quer mostrar sua graciosidade,
Seu brilho!

De fulgor, 
Olhar discreto e suave,
Visita intensamente corações.
Desperta  poesias, belezas,
Sonhos...
Embala horas de amor!

Em alguns momentos,
Se veste de nuvens...
E em  suave sensualidade,
Se esconde... Esconde saudades!
Para reaparecer minutos depois,
Ainda mais bela.

Lentamente E em intrínseca solidão, 
Percorre o céu.
Eu solitária qual a lua,
Fico a observá la... E antes que  um novo dia chegue,
Ela me convida a conversar.

Meus olhos ficam marejados
Em sua melancólica companhia.
Ela beija meu rosto... 
Eu sorrio para ela!

Agora, amigas e companheiras...
Em momentos de preciosa solidão,
Nenhuma de nós
Sabemos quem brilha mais,
Ou menos.

Ficamos incansáveis horas,
Trocando confidências...
Eu inerte, 
Nem percebo seu pouco brilho,
Dividido em metade!

É chegada a hora da sua partida...
É preciso, 
Dar lugar a um novo dia!
E, sem poder vê-la,
Me ponho a chorar.

Sem a sua companhia,
Me sinto completamente solitária!
Fico a esperar  sua volta...
Que volte logo...
A me iluminar!









29/11/2013

VOANDO POR AÍ...


Abri minhas asas e saí por aí
A voar feito pássaro.
Voando feliz... 
Fui ao encontro do homem amado.


Brevemente,olhei pela janela...
O sol imponente teimava em permanecer.
Senti-me um ser alado,
Fechado em um baú...
 Valeria a pena?

Voei...
Viajei para o tão sonhado 
E esperado dia...
 Da felicidade.

 Momentos ternos de amor,
Estavam à minha espera...
E sem escala ou conexão,
Desembarquei em seus braços!

18/11/2013

BREVE E TERNO SILÊNCIO



Em um breve silêncio,
Momento de sonhos
E devaneios!
Busco-te...
Minha alma está a dizer,
Que não vive sem você!

Perco-me nessa loucura,
Seu nome eu chamo!
Onde estarás?
Dançando na noite,
Ao relento?

Venha para meu coração...
Farei-te canções de amor,
Adoçarei sua vida
E perfumarei suas manhãs!

Minha boca sedenta,
Espera por seus doces beijos.
Espero-te,
Dia e noite...
Noite e dia.
E o meu abraço está sempre,
À espera do seu!

Venha fazer morada em meu coração...
Do seu amor eu preciso.
Em meu breve silêncio
No escuro de uma noite fria,
Quero dizer-te: sou tua.

Em meus sonhos,
Sonho que um dia estaremos 
Juntos para sempre!

Olharemos um para o outro
Com ternura e carinho...
Trocaremos juras de amor...
E entre nós,
O silêncio não mais existirá!




12/11/2013

O BEIJA FLOR E O JARDIM DA ALMA !




Um beija flor,
Batendo asas em alta rotação,
Adentrou a janela do meu coração!

Voando livre,
Passeou pelo jardim
De minha alma
Beijando as flores...
Sugando o néctar!

Beija aqui, beija acolá.
Beija uma... Beija outra...
E qual será a próxima da vez?


Voa no outono,  inverno
E no verão...
E na primavera,
Costuma vir me visitar!

Sempre que vem,
Traz e leva coisas boas.
Precisa ir...
Para voltar!

Voltar,
Antes que minhas lágrimas caiam,
E a primavera
Se vá de vez!

São fortes...
Suas asas em alta rotação
Tem o poder de decidir,
Ir...
Ou, 
Ficar!

E nas idas e vindas,
Encontrar  uma janela do coração
Entreaberta e entrar...
E nele,
Para sempre morar!










10/11/2013

A DOR QUE JÁ NÃO DÓI MAIS...

       Impiedosa e  inescrupulosamente cortaram meus braços... Mantenho-me viva porque a mãe natureza me protege... E a vida continua!

             Ceifaram parte de mim... Mas eu sou assim: Me reconstruo e me defendo.. A minha dor, já não dói mais. Me protejo pelos espinhos... Eu resisto!

            Estou um pouco destruída... Mas, à beira do caminho continuo a enfeitar .... Essa dor, vai passar... Não pode doer mais!

              Me sobraram algumas folhas... E eu, quase sem vida.... Ainda  estou aqui, majestosa a encantar quem passa por mim....


              E, ainda que o sol se vá... E ele adormeça em seu breve descansar... Continuarei aqui, à beira da estrada a enfeitar... Seja lá como for... Para onde for...

05/11/2013

A DOR DA INGRATIDÃO


Viver em harmonia e paz é tudo que queremos e precisamos. Para assim viver, é necessário Semear bons sentimentos como, por exemplo, amor, carinho e a gratidão. Em nossa existência, recebemos carinho e amor de amigos e familiares. Ao longo de nossas vidas, muitas vezes ajudamos aqueles que despretensiosamente nos procuram, sem esperar nenhum tipo de retorno.

O fato é que, em alguns momentos ou situações, nos deparamos com aqueles que fizeram parte de nossas vidas, indiferentes conosco. Frios ao conversar e olhando-nos, como se fossemos um desconhecido. Pessoas talvez, que considerávamos amigas ou familiares, mas que esqueceram os benefícios recebidos. Esqueceram momentos alegres, sonhos juntos construídos e até dificuldades partilhadas.

Estamos constantemente, em busca de pessoas sempre prontas a nos ouvir. A nos entender e respeitar nossas particularidades e limitações. Desejamos ter por perto, aquelas que oferecem o ombro amigo, quando delas precisamos. Que possamos contar com elas em momentos ou situações adversas. Que confiem em nós, acima de qualquer coisa. Que sejam incapazes de duvidar da nossa lealdade e, principalmente, que saibam dizer muito obrigado. Seja com palavras, gestos ou com o coração.

Penso que, infelizmente, raríssimas são as pessoas que nunca experimentaram uma dor que oprime o peito.  Sintoma de quem muitas vezes ofereceu o coração, e de retorno, recebeu indiferença.
A essa indiferença, normalmente chamamos de “ingratidão”. 

Quantos de nós já não a experimentamos? E por inúmeras vezes, sofreu essa dor, sem conseguir a paz que tanto bem nos faz? É sensato e importante, fazer uma análise mais profunda, das fontes de nossas dores e mágoas.

Pergunto: Não seria tudo isso uma questão de ação e reação? Quando fazemos algo para alguém, esperamos dela algum retorno? "Fiz o que pude e a pessoa não foi grata". É exatamente nesse momento que surge a dor da ingratidão.

É preciso refletir de forma honesta o que nos levou a fazer isso ou aquilo para aquela pessoa. Algumas, talvez respondessem: “fiz por amor, mas não recebi nada em troca”. Não estamos falando aqui, de vender benefícios tais como: reconhecimento, afeto, gratidão.  O amor apenas doa. Não cobra, não vende nem troca absolutamente nada.

“Eu não esperava isso dele ou dela”. Sentimento de falta de reconhecimento - Ingratidão.  Algo muito doloroso e ninguém gosta. Mas entre sentir um pouco de raiva e ficar ruminando mágoas, existe uma longa distância.  Infelizmente, mostra que a pessoa ainda não conseguiu exercitar o amor incondicional. Aquele que dá paz em qualquer situação.

Creio que, devemos pensar assim: Fiz, mas foi o outro quem não soube receber com dignidade. Portanto, o problema não é meu, é dele. Assim sendo, não cultive ódio, rancores e mágoas. Isso faz adoecer. É preciso trabalhar bem o eu interior, para esquecer rancores e aprender a perdoar sempre. E a vida seguirá mais leve e feliz.

Dizer que nunca mais fará nada para alguém, é reação natural do ser humano. Porém, não devemos supervalorizar as coisas “negativas”. Quando as valorizamos, sofremos mais e mais. Não podemos ter uma mente doente, egoísta e orgulhosa. É preciso a cada dia, a cada amanhecer, buscar as melhores ferramentas das quais dispomos interiormente, para em harmonia viver.

Falta de perdão faz mal a nós mesmos. Guardar mágoas é como tomar veneno. Além do mais, atire a primeira pedra aquele que nunca foi ingrato com ninguém nesta vida.  Mas, é de bom alvitre, esquecer as ofensas e corrigir as imperfeições. Fazer uma profilaxia da alma.

Só os que perdoam, vivem livres e estão prontos para experimentarem o novo. Prontos, para alçarem voos elevados.  E sabem que, para serem felizes não precisam só de reconhecimento. E sim, de um grande e incondicional amor no coração. Se alguém te retribuir com a ingratidão o bem que fizestes, não fique triste. É melhor receber a ingratidão, do que exercê-la em relação ao próximo.


03/11/2013

EM SILÊNCIO, ENFEITAM... FALAM !

                                 Em silêncio... Encanta um canto da casa... Traz alegrias....


Em silêncio... À beira do caminho... Enfeita em leve singeleza...

Em silêncio... Imponente em um jardim... Traz beleza... Viço...


                                 Em silêncio... Em uma calçada... Quase imperceptível... Enfeita!


                                Em silêncio... Em pequenas árvores... Imponentes enfeitam ruas...

29/10/2013

E O AMANHÃ TE SORRIRÁ!



A vida passa,
Na velocidade de um compasso...
Em um movimento,
De trajeto curto!
E o amanhã,
Pode ou não, ter o céu azul...

E ainda que o dia feche o tempo,
E a chuva caia
Mansa ou torrencialmente,
É preciso destelhar...
Os melhores pensamentos!

Com eles,
Fazer de cada amanhecer,
Um dia melhor...
Que possa sorrir e fazer sorrir!
Não se importando
Se o dia chegue de sol...
Ou chuva!

Que o amanhã,
Floresça dos melhores sentimentos!
Que os respingos da chuva
Que caírem,
Traga a magia do Amor...
E a esperança!

É sábio
Aguardar a chegada do alvorecer,
Para apreciar cada manhã...
Todas elas,
Têm suas belezas,
Seus encantos!

Foram arquitetadas,
Para bem viver...
Ter esperança... Amar...
Sonhar...
Ser feliz!

Faça do trajeto curto da existência,
Com que cada dia e manhã...
Sejam únicos!
Viva intensamente cada minuto,
Do relógio da vida ...
E o amanhã,
Sempre te sorrirá!




22/10/2013

JUNTANDO PEDAÇOS DO TEMPO

Caminhei solitária e sem direção,
Pelos meus momentos...
Refleti situações difíceis
E percebi minha alma,
Em desarmonia.

Nos caminhos do tempo,
Fui me retalhando...
Deixando pedaços de mim.

Será que sonhei demais
Ou, além do que deveria?
Fiquei entorpecida,
De sonhos... Desejos...
Amor!

Quis ser a luz da lua
Para alguém
Que visse a lua,
Dentro do meu olhar!
Quis me perder,
Na imensidão da luz do luar...

Que pena!
Meu insensato coração,
Não ouviu as preces da alma!
Não ouviu sequer,
O alerta dos gestos da falta de amor.

E no tempo dos meus momentos,
Arranhada fiquei...
Totalmente arranhada.
Dilacerada!

Foi descaso comigo...
Maltratei-me!
Preciso urgente,
Abrir as janelas de mim...
Deixar o sol entrar.

Quero esquecer,
Palavras que não disse...
Gestos que não utilizei.
Mãos, que não afaguei!

Quero me reconstruir...
Juntar os pedaços de mim!
Costurar o meu tempo
E rever minha direção.

Eu preciso,
Prender dentro de mim,
Meu amor próprio...
E não mais soltá-lo!

Não quero mais,
Perder meu "tempo"
E meus sonhos...
Quero um voo livre...
Porque não desisto de mim!



15/10/2013

TEMPESTADES PASSAM !


O tempo... Impiedoso tempo...
Passa velozmente!
De dificuldades, calmarias
Ou tempestades.
Estas, em alguns momentos querem ficar.
Permanecer!

E a vida segue... 
Transformando histórias,
Que o tempo conta...
Laços... Afetividade... Amor!
Vidas que marcam vidas...

Ventos, mudam de direção...
E, sem se importar com o trajeto,
O tempo tráz... O tempo leva.
Leva, alegrias e tristezas,
Dores que se vão para não mais voltar?

Almas sensíveis, sofrem...
Não conseguem suportar novas direções!
Ficam perdidas em meio as histórias,
Que o tempo conta...
Ou, contou!

Dores de outrora, devem ser esquecidas...
Relembrar é excesso.
E busca pelo futuro de paz,
Deve ser uma constante.
Eterna e incansável busca!

O tempo passa...
Segue impiedoso
Numa decrescente ou crescente.
Sempre, favorável ao coração,
De quem carrega dentro de si,
Amor... Muito amor!

E que as dores dos amores que já arderam,
Fiquem no esquecimento.
Que a alma dilacerada
E as feridas, sejam Cicatrizadas.

Que palavras simples e doces
Sirvam para dar forças...
As vezes, pessoas se ferem ingenuamente,
Com o intuito de não querer perder o outro.

Mas, e o reino encantado está por vir?
Talvez...
Uma coisa é certa, tempestades passam.

E flores brotarão em meio às pedras das emoções!
Que elas permaneçam...
E, floresçam o coração!

A vida, vivida intensamente e com alegria
Será terreno fértil...
E assim, no terreno do coração,
Nascerão belas e perfumadas flores.

É de bom alvitre caminhar
Em direção à busca pela paz...
Paz interior!
Promova caminhos de luz...
Acenda as luzes... Os faróis,
Do seu eu interior!

Que as tempestades, não nos ceguem...
O tempo não volta atrás.

As tempestades passam rapidamente,
Qual o tempo... E o sol reaparece!
As histórias bonitas, permanecem...
Perduram...
Ficam para sempre...

Dentro do coração!






10/10/2013

ASSIM SOU EU...




Quero ficar... E quero partir...
Quero meu tempo como joia preciosa,
Diluído entre realidade e sonhos...

Me perdi em mim...
Na minha própria solidão.
Quero os meus vulcões adormecidos,
Que já não fazem mais nenhum sentido.

Quero viver minha razão.
Ser meu mar...
Meu chão... Meu céu!
Com,
Ou sem razão...

Sou toda emoção...
E meu pranto,
Já não cabe mais em meus olhos,
Em meu sofrido coração.

Em reflexão,
Imersa em mim, eu fico.
Sou imprevisível...
E comigo me espanto.
Sou pranto? Não...
Sou única...
Senhora, dona de mim.

Sou inquieta...
Pássaro e flor...
Um ser em evolução...
Inacabado!

Sou assim...
E ainda assim,
Há pessoas, que querem ser iguais.



Sou  lua ou sol...
A embelezar o céu.
Ou, estrelas a comungar
Do horizonte noturno.
   
Em alguns momentos, sou diamante...
Joia rara, de ímpar beleza.
Ainda que ocultos, se fazem presentes.
É luz, que reluz...
Brilha diferente!

Cada um tem o seu tom,
Seu dom... Sua beleza.
E pode ser brilho atraente,
Qual joia rara...

Pode ser mulher e menina...
Deusa da luz...
Joia pequena,
Ou não,
Mas de incomensurável valor.

Sou assim: cheia de sentimentos e emoções.
Dona de sorrisos...
Que iluminam lágrimas,
E as transformam em gotas de cristais.

Essa sou eu... Eu sou assim...
Um diamante...
Um ser,
A ser lapidado.
Um ser, inacabado...
Da vida!